17 de jun de 2010

GABARITO HISTORIA - 1º ANO

AP2 – HISTÓRIA
1 ) (UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul -
A história do Mediterrâneo é a história das migrações populacionais e da circulação de valores de culturas diferentes. Sobre a expansão árabe, a partir da unificação islâmica na Idade Média, é correto afirmar:
A - A doutrina islâmica não permitiu a criação de um Estado teocrático.
B - O Jihad, ou guerra santa, foi usado como justificativa para o expansionismo árabe.
C - Conquistadores não permitiam que os povos conquistados continuassem a praticar sua fé.
D - Medina tornou-se o centro das peregrinações islâmicas.
E - Iatreb era o centro das peregrinações islâmicas, onde se localiza a Caaba, o monumento sagrado dos muçulmanos.

GAB. B
2 ) (UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho -
Questão 16: “Quando Maomé fixou residência em Yatreb, teve início uma fase decisiva na vida do Profeta, em seu empenho de fazer triunfar uma nova religião. A cidade de Yatreb, que doravante seria chamada de Medinat al-Nabi (Medina, a cidade do Profeta), tornou-se a sede ativa de uma comunidade da qual Maomé era o chefe espiritual e temporal.”(Roberto Mantran, Expansão muçulmana)
Essa mudança para Medina, que assinalou o início da era muçulmana, ficou conhecida como:
A - Xiismo;
B - Sunismo;
C - Islamismo;
D - Hégira;
E - Copta.

GAB. D
3 ) (UTFPR/PR) Universidade Tecnológica Federal do Paraná -
Os árabes, um povo, até então quase desconhecido, unificou-se levado pelo impulso de uma nova religião: o islã.
Com relação a essa nova doutrina religiosa, analise as seguintes proposições:
I) Trata-se de um caso típico de panteísmo, a crença em múltiplos deuses, dos quais o principal é Alá.
II) Fundamenta-se no culto pagão aos deuses das tribos árabes, na idolatria dos ídolos, e especialmente à Caaba.
III) Configurou-se monoteísta, sob forte influência do judaísmo e do cristianismo, fruto do contato de Maomé com pessoas dessas religiões.
Está(ão) correta(s) somente:

A - I

B - II

C - III

D - I e II

E - II e III


GAB . C
4 ) (UNESP/SP) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho -
Questão 2:
O culto de imagens de pessoas divinas, mártires e santos foi motivo de seguidas controvérsias na história do cristianismo. Nos séculos VIII e IX, o Império bizantino foi sacudido por violento movimento de destruição de imagens, denominado “querela dos iconoclastas”. A questão iconoclasta:

A - derivou da oposição do cristianismo primitivo ao culto que as religiões pagãs greco-romanas devotavam às representações plásticas de seus deuses.

B - foi pouco importante para a história do cristianismo na Europa ocidental, considerando a crença dos fiéis nos poderes das estátuas.

C - produziu um movimento de renovação do cristianismo empreendido pelas ordens mendicantes dominicanas e franciscanas.

D - deixou as igrejas católicas renascentistas e barrocas desprovidas de decoração e de ostentação de riquezas.

E - inviabilizou a conversão para o cristianismo das multidões supersticiosas e incultas da Idade Média europeia.

5 ) (UEL/PR) - Universidade Estadual de Londrina -
Justiniano (527-565), no Império Romano do Oriente, enfrentou diferentes dificuldades internas, inclusive nas relações entre a Igreja e o Estado, em virtude das heresias, como a dos monofisistas, que, entre outros princípios:
A - pretendiam a destruição de todas as imagens;
B - pregavam a natureza divina de Cristo;
C - defendiam o conhecimento de Deus inspirado no misticismo;
D - admitiam o dualismo de inspiração budista;
E - afirmavam a reencarnação das almas em corpos de animais.

Gab B
5 ) (UEMS)- Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul -
Questão 7:
A Pax Romana, que caracterizou os dois primeiros séculos da Era Cristã, marca um período de controle das guerras civis, das revoltas coloniais e dos conflitos urbanos. A adoção dessa política ocorreu no governo de:

A - Caio Júlio César;

B - Otávio;

C - Nero;

D - Calígula;

E - Tibério.


Gab . B

6 ) (UFMT) - Universidade Federal de Mato Grosso -
Intensos conflitos fronteiriços com povos bárbaros, desvalorização da moeda, vazio de poder, desintegração do sistema de impostos, revoltas no campo, falta de mão-de-obra escrava, tendência à ruralização,
auto-suficiência dos domínios e insegurança principalmente nas cidades. O quadro descrito refere-se ao:
A - declínio do Império Romano e à passagem da Antigüidade ao feudalismo;
B - processo de transição do feudalismo ao capitalismo;
C - período que marcou o surgimento das cidades e o ressurgimento do comércio;
D - aparecimento de uma sociedade caracterizada pela propriedade coletiva da terra e centrada nas cidades;
E - declínio da sociedade urbana na Idade Média e ao surgimento de comunidades aldeãs.

GAB A


7 ) (PUC/CAMP) - Pontifícia Universidade Católica de Campinas -
Questão 30: Teodósio estabeleceu que, após a sua morte, ocorrida em 395, o Império, para ser melhor administrado, deveria ser:
A - fracionado em quatro partes, com dois Imperadores e dois Césares;
B - dividido em duas partes: Império do Ocidente e o Império do Oriente;
C - atrelado ao paganismo e direcionar uma operação para destruir as catacumbas;
D - aliado dos árabes para defendê-los contra os hunos que se avizinhavam de Roma e de Meca;
E - dividido em áreas denominadas condados e doadas, em caráter hereditário, a seus sucessores.

GAB B

8 ) (UESC/BA) - Universidade Estadual de Santa Cruz -
Seja qual for a cidade, o fato fundamental da sociedade do Império Romano é a convicção de que existe uma distância social intransponível entre os notáveis "bem-nascidos" e seus inferiores (...) As classes superiores procuram diferenciar-se das inferiores através de um estilo de cultura e vida moral cuja mensagem mais vibrante é que não pode ser partilhado pelos outros.
(Veyne (org.), p. 230)
A distância social referida no texto relaciona-se à distinção entre:

A - romanos e bárbaros;
B - bárbaros e guerreiros;

C - sacerdotes e guerreiros;
D - cidadãos patrícios e plebeus;

E - tribunos da plebe e sacerdotes.
GAB. D

9 ) (CEFET PR)
Por volta do século III, o Império Romano passava por uma enorme crise econômica e política, pois com o fim das conquistas territoriais, diminuiu o número de escravos, provocando uma queda na produção agrícola. Na mesma proporção, caía o pagamento de tributos originados nas províncias. Em crise e com o exército enfraquecido, as fronteiras ficavam a cada dia mais desprotegidas. Muitos soldados, sem receber salário, deixavam suas obrigações militares. Sobre esse assunto, estabeleça correspondência entre a primeira e a segunda coluna.

1ª coluna
1) Teodósio
2) Constantinopla
3) Povo Hérulo
4) Tetrarquia
5) Edito de Milão

2ª coluna
( ) Capital do Império Romano do Oriente.
( ) Depôs Rômulo Augusto, o último soberano do Império Romano do Ocidente.
( ) Declarava que o Império Romano seria neutro em relação ao credo religioso.
( ) Sistema de governo criado pelo imperador romano Diocleciano.
( ) Estabeleceu que o Cristianismo tornar-se-ia a religião oficial do Império Romano.

A sequência correta é:

a) 2, 3, 5, 4 e 1.
b) 1, 2, 5, 4 e 3 .
c) 2, 5, 1, 4 e 3.
d) 2, 5, 4, 3 e 1.
e) 4, 5, 2, 3 e 1.

Gab: A

10 - (CEFET PR)
Desde seu início, em 27 a.C., o Império Romano enfrentou graves problemas sociais. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, pois muitos camponeses perderam seus empregos. Esta massa de desempregados migrou para as cidades romanas em busca de empregos e melhores condições de vida. O Imperador ficou receoso de que pudesse acontecer alguma revolta nessa massa popular urbana empobrecida e adotou uma política pública que consistia em oferecer a eles gratuitamente alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios, onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta. Essa prática ficou conhecida por:

a) Política do Bem Estar Imperial.
b) Política da Doutrina Social do Império.
c) Política da Economia Romana Solidária.
d) Política do Pão e Circo.
e) Política da Nova Administração da Plebe.

Gab: D

11 - (UFPEL RS)
“Os animais da Itália possuem cada um sua toca, seu abrigo, seu refúgio. No entanto, os homens que combatem e morrem pela Itália estão à mercê do ar e da luz e nada mais: sem lar, sem casa, erram com suas mulheres e crianças. Os generais mentem aos soldados quando, na hora do combate, os exortam a defender contra o inimigo suas tumbas e seus lugares de culto, pois nenhum destes romanos possui nem altar de família, nem sepultura de ancestral. É para o luxo e enriquecimento de outrem que combatem e morrem tais pretensos senhores do mundo, que não possuem sequer um torrão de terra.”
PLUTARCO DE QUERONÉIA, (50-125). In: PINSKY, Jaime. 100
textos de História Antiga. São Paulo: Contexto, 2003.

O documento está associado à reforma agrária promovida pela(s)
a) Revolta de Espártaco.
b) Lei das Doze Tábuas.
c) Lei Canuléia.
d) Guerras Púnicas.
e) Leis dos Irmãos Graco.

Gab: E

Nenhum comentário: